O DicasWP está encerrando as suas atividades

Depois de muito pensar, decidi encerrar o Dicas WordPress em outubro de 2014. Ao total foram 5 maravilhosos anos de criatividade e dedicação dos nossos leitores e colaboradores.

Aos leitores do Dicas WordPress, agradeço imensamente por toda a colaboração e contribuição de vocês.

Aos colaboradores, até mesmo aqueles que nunca escreveram, obrigado por fazer parte da equipe do Dicas WordPress.

Se você possui interesse na aquisição do domínio e do conteúdo, entre em contato com a sua proposta.

Obrigado,
Yeltsin Lima

Bancos de Imagens Pagos

O mais barato: Dollar Photo Club

O Dollar Photo Club, como o nome já diz, é um banco de imagens com fotos por 1 dólar. É um dos melhores que encontrei e deve servir bastante para os seus projetos. Mas tem um catch: você só pode optar por um plano anual ou “mensal” (o mensal diz o site que é bem restrito, pois é necessário aprovação. Custa 10 dólares o mensal (dá direito a 10 fotos) e 99 dólares o anual (com direito a 99 fotos).

Para Landing Pages de apps: Placeit

Para quem está criando uma landing page ou um site novo, o Placeit é a solução. Ele tem diversos templates de fotos profissionais com iPhones, Android, Macs e diversos outros dispositivos. Permitindo que você mostre realmente, como seu aplicativo ficaria num smartphone ou notebook. Acho um dos melhores bancos de imagens para esse tipo de solução.

Os mais famosos: iStock (Getty Images), Corbis

O iStock e o Corbis são juntos os mais famosos bancos de imagens existentes. O Corbis é bem mais caro em relação ao Getty Images/iStock. Mas as qualidades das fotos impressionam (não é atoa que a maioria dos jornais independentes de alta qualidade utilizam os dois serviços para ilustrar suas matérias).

Google Adwords – Aprenda tudo sobre a plataforma

Links Patrocinados? Adwords? O que significa tudo isso? Para começar, vamos falar um pouco de SEM – Search Engine Marketing. Ou no português: Marketing para Motores de Busca. A técnica já existe faz um tempinho, mas ganhou força quando o Google lançou a busca patrocinada (sabe aqueles links que ficam no topo ou na área lateral, que aparecem na busca do Google? Pronto.).

O SEM não é utilizado apenas pelo Google. Outros buscadores como Bing e Yahoo (apesar da empresa responsável pelos anúncios ser a Microsoft/Bing) utilizam a área de buscas para vender os links patrocinados. E quanto melhor o posicionamento do link, mais chances de você receber diversas conversões.

Links Patrocinados (Adwords)

Uma das vantagens dos anúncios patrocinados em relação a outros tipos de anúncios, é o poder de segmentação. Vamos entrar em maiores detalhes, mas é possível, por exemplo, segmentar para que determinado anúncio apareça apenas para pessoas de uma cidade ou estado.

A dica do Google:

O mais importante a ser lembrado é que o processo de leilão usa a qualidade, os lances e o impacto esperado de extensões e outros formatos de anúncio para determinar a posição do anúncio. Assim, mesmo que os lances de seu concorrente sejam maiores, você poderá conseguir uma posição de maior destaque (por um preço menor) com palavras-chave, anúncios e extensões altamente relevantes.

As palavras-chaves são basicamente as mesmas que citamos no artigo sobre SEO. Se um visitante pesquisar no Google por “dicas wordpress”, além dos resultados da busca orgânica, ele também receberá resultados dos links patrocinados. No caso do “dicas wordpress”, quem está anunciando atualmente é o próprio WordPress (safadinho).

Tela 2014-06-29 às 02.14.28

 

O primeiro link “Atualize WordPress site” é na verdade um anúncio do wordpress.com. Ou seja, o resultado aparece pois a equipe de marketing da Automattic investiu uma determinada quantia para exibir anúncios para a palavra-chave “dicas wordpress”. O mesmo vale para uma pesquisa sobre “hospedagens de sites“, por exemplo.

É preciso lembrar uma coisa: jamais encher seu anúncio de palavras-chave que não sejam relevantes ao negócio. Se você vende hospedagem de sites, não coloque apenas o termo “hospedagem” no anúncio. Além de se tornar irrelevante, você terminará perdendo dinheiro pois anunciará para um público muito mais amplo do que simplesmente para pessoas interessadas em hospedagem de sites.

O Google também conta com a Rede de Display. Que é basicamente todos os sites que não são a busca do Google. Ou seja: YouTube, NYTimes e até o Dicas WordPress (usamos o AdSense que exibe anúncios do Adwords. Inclusive, você pode anunciar no Dicas WordPress atráves do Adwords).

Mas acredite: assim como ocorre com a busca orgânica (ou seja, a que não é paga), o Google usa algorítimos de “IQ”: Índice de Qualidade. Quanto mais relevante for o seu anúncio, maiores são as chances dele aparecer no topo. Usando o exemplo de “hospedagem de sites” e “hospedagem”. Se a sua empresa anunciar planos de hospedagem (de sites) e usar a palavra-chave “hospedagem” é bem provável que sites como Booking.com, Kayak.com e etc, apareçam primeiro do que o seu site. Afinal, hospedagem está sendo usado como um termo bastante amplo e pode ser tanto “hospedagem de sites” quanto hotéis, pousadas, etc.

Alguns termos que iremos usar:

  • CTR: Click-through Rate ou Taxa de Cliques;
  • CPA: Cost per Action ou Custo por Ação;
  • CPC: Cost per Click ou Custo por Clique;
  • CPM: Custo por Mil.
  • CPL: Custo por Lead.

Apesar de muitas vezes o CPL e o CPA serem praticamente a mesma coisa.

Outra dica do Google:

Independentemente do valor de seu lance, você pagará o mínimo necessário para superar o anunciante abaixo de você.

Índice de Qualidade

Essa listinha foi pega diretamente do Google e explica direitinho quais os itens que afetam diretamente o índice de qualidade.

  • Taxa de cliques (CTR, na sigla em inglês) esperada de sua palavra-chave: a CTR esperada tem como base, em parte, a CTR anterior da palavra-chave ou a frequência com que a palavra-chave gerou cliques em seu anúncio
  • CTR anterior de seu URL de visualização: frequência com que você recebeu cliques com seu URL de visualização
  • O histórico de sua conta: a CTR geral de todos os anúncios e palavras-chave em sua conta
  • A qualidade de sua página de destino: qual é a relevância, transparência e facilidade de navegação de sua página
  • A relevância de sua palavra-chave para o anúncio: qual é a relevância de sua palavra-chave para seus anúncios
  • A relevância de sua palavra-chave para a pesquisa: qual é a relevância de sua palavra-chave para o que o cliente pesquisa
  • Desempenho geográfico: o desempenho de sua conta nas regiões segmentadas
  • O desempenho de seus anúncios em um site: o desempenho de seu anúncio exibido no site em questão e em sites similares (se você estiver segmentando a Rede de Display)
  • Seus dispositivos segmentados: como está o desempenho de seus anúncios em diferentes tipos de dispositivos, como computadores/laptops, celulares e tablets (você recebe diferentes Índices de qualidade para diferentes tipos de dispositivo)

Anúncios segmentados

[sociallocker id="4169"]

Um dos maiores erros que as pessoas cometem é não segmentar os anúncios. O exemplo de palavras-chave a seguir foi dado pelo Google. Vou explicar direitinho o que isso tem a ver.

  • cookies com gotas de chocolate
  • cookies de aveia
  • biscoitos de canela
  • brownies cremosos
  • brownies com nozes
  • brownies de chocolate amargo
  • cupcakes com cobertura de morango
  • cupcakes de baunilha
  • cupcakes de chocolate

Perceba que temos duas palavras-chave com o termo cookies, uma de biscoito que também significa cookies, três de brownies e três de cupcakes. Apesar de não ser preciso criar uma landing page (teremos um artigo só sobre landing pages) para cada palavra-chave, é recomendado criar um anúncio para cada grupo de palavras-chave.

Por isso, iremos dividir em três grupos. O primeiro é o grupo dos cookies.

  • cookies com gotas de chocolate
  • cookies de aveia
  • biscoitos de canela

O segundo é o grupo dos brownies. E o terceiro é o grupo dos cupcakes. Você receberá bem mais conversões (e o seu índice de qualidade aumentará consideravelmente) se você fizer um anúncio para cada grupo. Tente também escolher palavras-chave que estejam diretamente relacionadas ao seu negócio. Diferentemente do SEO, você terá grandes chances de perder dinheiro com o uso de palavras-chave desnecessárias.

Configuração de anúncios com base em metas

Dependendo da meta do seu anúncio, você precisa configura-lo corretamente. Se o seu objetivo é, por exemplo, vender um produto, mais vale usar a tática de CPC ou de CPA do que CPM. Afinal, do nada adianta 1000 visualizações e 1 visita. Aí você tem que aplicar um pouco de matemática.

A primeira coisa a se perguntar é: o investimento valeu a pena? Se você investe, por exemplo, R$1.000 em anúncios de CPM que irão lhe garantir 10 mil visualizações. Mas no final da campanha você percebe que apenas 100 pessoas visitaram sua página e 10 adquiriram seu produto que custa R$10. Você teve um CTR de 1% que é relativamente alto (acredite), mas você gerou apenas 10 leads que adquiriram ao total R$100 em produtos. Ou seja: você “jogou fora” R$900.

No entanto, se você tivesse feito o mesmo investimento. Mas ao invés de solicitar uma campanha de CPM, você escolhesse de CPC e ao invés de 10 mil visualizações, você receberia 500 cliques e 50 leads, seu prejuízo seria de “apenas” R$400.

Mesmo assim eu sairia perdendo? Não. Depende de N fatores. Os principais são:

  • Custo do Clique. Se usassemos o segundo exemplo, o seu CPC seria de R$2,00. O que é um CPC alto para o preço do seu produto.
  • Custo do Produto. Vale a pena mesmo investir R$1 mil reais num produto que vale R$10 e cujo CPC médio é de R$2,00? A resposta é: não. A não ser que você alcance o milagre de converter 100% dos visitantes, você iria obter lucro (convertendo 500 iriamos ter R$5 mil em vendas, que significaria um lucro de R$4 mil).
  • Posição do anúncio (Principalmente para CPM).
  • Quantidade de conversão. Quantas pessoas que clicaram compraram seu produto?

Você precisa ter diversas coisas em mente antes de sair investindo no Google. No caso de venda de um produto, por exemplo, você pode inserir o modelo de CPA/CPL. Que só iria “pagar o Google” quando o produto fosse realmente vendido. Isso significaria que um CPL de até R$5,00 ainda iria lhe trazer um “lucro” de R$5,00. Principalmente quando o produto vendido é um produto por assinatura.

ARTIGOS COMPLEMENTARES

PS: Este artigo não terminou. Continuaremos em outro post! :)

[/sociallocker]